Programa A VOZ DO PROFESSOR NA 87 FM

Ouça o programa toda segunda-feira às 20:00 horas na 87 fm, pelo site da aplb ou www.uaua.com.br.

DIRETORIA DA APLB UAUÁ.

Diretoria da APLB UAUA BAHIA.

APLB UAUÁ

Muitas conquistas dessa classe de professores na cidade de Uauá.

Ações da APLB UAUÁ

Foto de manifestação pelas ruas da cidade. Reinvindicando nossos Direitos.

Manifestação pelas ruas da cidade

Fotos manifesto professores.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

CNTE CHAMA TRABALHADORES PARA GREVE GERAL


A CNTE chama a todos os trabalhadores e trabalhadoras de educação de todo o país para participarem da “Greve Geral” convocada pela CUT e demais centrais sindicais, no próximo dia 11 de novembro.
A mobilização é contra a terceirização, a Lei da Mordaça, a PEC 241 o PLP 257, a reforma da Previdência, a reforma do Ensino Médio, a flexibilização do contrato de trabalho, a prevalência do negociado sobre o legislado, e em defesa da lei do piso.
De acordo o presidente da CNTE, Roberto Leão, os educadores vão se somar aos demais trabalhadores e dizer que não toleram nenhuma perda de direito. “A luta é também contra a retirada de direitos dos trabalhadores/as, em defesa da escola pública de qualidade e da democracia”, ressaltou.

Fonte: CNTE.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

APLB: ATENÇÃO, NÃO ACREDITE EM BOATOS. PARALISAÇÃO SÓ COM ASSINATURA DA APLB, CNTE E CTB



Atenção
A respeito de boatos que estão circulando nas redes sociais sobre uma suposta paralisação em 19 e 20 de outubro (quarta e quinta-feira), a APLB-Sindicato informa que não passam disto mesmo: BOATOS.
As paralisações na educação devem ter a assinatura do sindicato e/ou da CNTE (que é a confederação que reúne todos os sindicatos e associações da educação) e CTB (a central sindical da qual faz parte a APLB-Sindicato).
Portanto, fique atento, não acredite em boatos.
Diretoria da APLB-Sindicato

Fonte: Site da APLB


CNTE: MOÇÃO DE APOIO À GREVE DOS TRABALHADORES(AS) DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ



A Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação – CNTE, representa em torno de 4 milhões de profissionais da educação básica do Brasil, possuindo 50 entidades filiadas em todo o país, dentre as quais a APP – Sindicato dos/as trabalhadores/as em educação do Paraná.

Enquanto entidade representativa da categoria, em assembleia democrática e representativa organizada por esse Sindicato, os/as profissionais da Educação do Estado do Paraná decidiram deflagrar greve enquanto instrumento de luta da categoria contra os ataques do atual governo que unilateralmente quer alterar a lei que ele mesmo sancionou e que garantia pagamento da data-base em janeiro de 2017, conquista da última greve.

Trabalhadores/as da Educação do Paraná paralisam suas atividades pela retirada das emendas da Lei de Diretrizes Orçamentárias que acabam\alteram o pagamento da data-base; pagamento das dívidas com os(as) educadores\as; retirada da falta do dia 29 de abril; manutenção do PDE e das licenças especiais e, no âmbito nacional, contra a MP 746 – Reforma do Ensino Médio, a PEC 241, o PLS 54 (antigo PL 257) e contra a reforma da previdência.

A educação precisa ser prioridade dos governos estaduais. Essa primazia passa pela valorização dos seus profissionais, que devem ser tratados com respeito e dignidade. A greve é o último recurso a que lançam mão na luta em defesa da educação pública de qualidade. Esse instrumento deve ser respeitado e os legítimos representantes da categoria precisam ser ouvidos como interlocutores das reinvindicações da educação da Paraná.

Trabalhadores/as da Educação do Paraná merecem respeito. A CNTE apoia sua luta e a ela se soma em prol de uma educação pública com consciência de seu próprio valor e com a qualidade exigida pela população.

Brasília, 18 de outubro de 2016.

Fonte: CNTE

 

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

FUNDEB-UAUÁ, MÊS DE SETEMBRO



FUNDEB MÊS DE SETEMBRO: R$ 1.025.155,21 

 60% R$ 615.093,12
40%  R$  410.062,08

 FOLHA DA EDUCAÇÃO EFETIVOS(498):

 R$ 1.038.010, 54
          

CONTRATOS(92 SERVIDORES): R$ 73.450,00


COMISSIONADOS(09 SERVIDORES): R$ 12.207,48

TOTAL, SEM O ENCARGO DO INSS: R$ 1.123.668,02

 Fonte: BB/STN E FOLHA DE PESSOAL CEDIDA PELO RH. 
Não incluímos o patronal. 




ASCOM: APLB-UAUÁ
Obs.:  Obs.: Baixe o aplicativo da rádio do povo uauaense, Luz do Sertão FM87,9 https://play.google.com/store/apps/details… 
Contato:
74-9970-2838(Zé Carlos/Diretor sindical)
74-99930-6457(Prolepses/Coordenador)
E-mail.:
 

PROGRAMA DE RÁDIO DA APLB-UAUÁ, "A VOZ DO PROFESSOR", ÀS SEGUNDAS, 20H


Informe da APLB-UAUÁ

Passamos para lembrar do nosso programa de rádio " A VOZ DO PROFESSOR", que vai ao ar todas as segundas, a partir das 20h, pela rádio comunitária Luz do Sertão FM87,9.
Sintonize e participe! 

ASCOM: APLB-UAUÁ
Obs.:  Obs.: Baixe o aplicativo da rádio do povo uauaense, Luz do Sertão FM87,9 https://play.google.com/store/apps/details… 
Contato:
74-9970-2838(Zé Carlos/Diretor sindical)
74-99930-6457(Prolepses/Coordenador)
E-mail.:
prolepses@hotmail.com(Prolepses/Coordenador) 


sexta-feira, 14 de outubro de 2016

MOÇÃO DE REPÚDIO DA CNTE À SECRETÁRIA EXECUTIVA DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, MARIA HELENA


A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade que representa mais de 4 milhões de educadores/as das escolas públicas no Brasil, entre ativos, aposentados, efetivos e contratados, repudia as declarações da secretária executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, que defende o apartheid socioeducacional por meio da reforma do ensino médio.
Em entrevista à revista apoiadora do golpe institucional no Brasil, Veja, de 30/09/16, a secretária afirmou que a proposta do MEC de flexibilizar uma parte do tempo do jovem na escola “bate de frente com uma ideia incrustada no caldo cultural da academia brasileira, que reverbera por toda a sociedade. É a ideia de que todo mundo tem direito ao mesmo ensino, independentemente de classe social, cor, credo”.

E sua justificativa para o apartheid revela a real intenção da reforma do MEC, que não se centra em oferecer uma escola pública de qualidade para todos/as, mas tão somente em reproduzir uma massa de mão de obra barata para o capital. O conceito de igualdade de oportunidades da secretária é o mesmo defendido pelas elites que dominam há 500 anos os meios de produção no Brasil. Disse a Sr.ª Maria Helena: “o sistema atual não abre caminhos diferentes para pessoas de capacidades e ambições diferentes. Ele fecha portas. Muita gente não entendeu que, ao propor trajetórias diversas dentro da escola, a reforma defende justamente a igualdade de oportunidades”.

Para esse tipo de gente, a escola boa deve atender os filhos das classes alta e média. Para os pobres, sem direito a escola integral e a programas de renda familiar para manutenção da juventude na escola, vale tão somente cursos limitados que lhes garantam um diploma medíocre e a qualificação mínima para reproduzir o ciclo de pobreza familiar.

Na concepção de “igualdade de oportunidades” da secretária do MEC, não cabe a lógica de expansão das universidades públicas e dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Os profissionais da educação não precisam ser bem formados e remunerados. Aliás, é plenamente viável contratar qualquer pessoas com “notório saber”. O FIES e o Prouni só serão mantidos se valer a pena atender a interesses dos proprietários do ensino superior, pois a juventude pobre não precisa almejar cursos em universidades. Não por acaso, a MP 746 (do ensino médio) prevê a possibilidade de o jovem/adulto (pobre) fazer vários cursos profissionalizantes, no eterno nível médio, a fim de não precisar ir para a universidade.

As declarações da secretária executiva do MEC, repulsivamente, reafirmam o que a CNTE e grande parcela da sociedade têm denunciado – que a MP 746 é um expediente autoritário com o objetivo de retirar direitos da juventude à escola pública, gratuita, laica, democrática e de qualidade socialmente referenciada para todos e todas.

Brasília, 10 de outubro de 2016
Diretoria Executiva
Fonte: Site da CNTE

ASCOM: APLB-UAUÁ
Obs.:  Obs.: Baixe o aplicativo da rádio do povo uauaense, Luz do Sertão FM87,9 https://play.google.com/store/apps/details… 
Contato:
74-9970-2838(Zé Carlos/Diretor sindical)
74-99930-6457(Prolepses/Coordenador)
E-mail.:
prolepses@hotmail.com(Prolepses/Coordenador)

terça-feira, 11 de outubro de 2016

COORDENADOR DA APLB-UAUÁ FOI ESCOLHIDO PARA O CONGRESSO SINDICAL DA APLB PELA REGIONAL NORDESTE


No dia 10 de Outubro de 2016, o coordenador da APLB-UAUÁ, Francisco-Prolepses, participou do encontro da Regional Nordeste da APLB na cidade de Jeremoabo-Ba, com objetivo de tirar delegados para o Congresso da APLB-ESTADUAL em Salvador e para o Congresso Nacional da CNTE( Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) em Brasília.
O encontro contou com a participação do Diretor Regional, João Neto, que falou da conjuntura da Regional, Dr. Noildo, Advogado e Diretor de Organização da APLB, que falou sobre a conjuntura política nacional, vários projetos de leis que vem de encontro aos direitos trabalhistas e da bandeira de luta sindical, e do Diretor da Delegacia  Terra Santa, Júlio Cesar, que agradeceu a todos pela presença e falou sobre as ações da delegacia na Regional, assim como vários coordenadores de núcleos e diretores.
No encontro foram debatidos temas essenciais à luta sindical e discorridos dúvidas, tendo cada um oportunidade de apresentar suas demandas e ações nas suas delegacias e núcleos. 
O coordenador da APLB-UAUÁ apresentou dificuldades encontradas para assegurar direitos adquiridos da sua categoria e versou sobre o projeto do Plano de Ação para 2017, solicitando apoio para fomentar nos núcleos encontro de FORMAÇÃO SINDICAL E POLÍTICA TANTO PARA DIRIGENTES COMO PARA A CATEGORIA.
Logo após, foi realizado a analise dos nomes para as vagas no Congresso Nacional da CNTE(05) e o Congresso Estadual da APLB(10), conforme números de sócios, sob a coordenação do Diretor João Neto e Dr. Noildo.

O coordenador da APLB-UAUÁ foi um dos contemplados e agradeceu aos irmãos da Família APLB Regional Nordeste pela oportunidade de vivenciar momentos tão ricos em conhecimentos e interativos, salientando a importância do trabalho em equipe que só engrandece a entidade.
"Eu só tenho que agradecer aos meus colegas professores de Uauá por me darem essa oportunidade de estar aqui vivenciando esse momento ímpar, conhecendo e interagindo com pessoas inteligentes e maravilhosas dentro dessa grande Família que é a APLB-SINDICATO. Agradecer ao nosso querido diretor João Neto pela capacidade de aglutinar e de interagir de forma dinâmica na Regional, estando sempre presente e atuante. É realmente um diretor que se preocupa e atua diretamente junto aos núcleos e delegacias para ver o crescimento da sua Regional. Estendo congratulações ao nosso Delegado Júlio Cesar, Dr. Noildo e aos meus irmãos de luta dessa unificada Regional, aos quais muito tens me ensinando através de suas experiências exitosas. Nós precisamos intensificar a formação sindical e política e estendê-la para nossa categoria. Nós precisamos nos formar e informar com credibilidade e consistência. Hoje tudo se fez novo e um novo que nos traz lembranças de velhas práticas. Só há uma forma de encarar essa avalanche retrógrada: a unificação da massa consciente e aguerrida por manter seus direitos, independe de quaisquer posição ideológica. Nós estamos firmes e fortes, pois temos um Sindicato que se preocupa constantemente em manter seus líderes sempre informados e prontos para a luta. Avante, Família APLB!"(Prolepses/Coordenador da APLB-UAUÁ)









ASCOM: APLB-UAUÁ
Obs.:  Obs.: Baixe o aplicativo da rádio do povo uauaense, Luz do Sertão FM87,9 https://play.google.com/store/apps/details… 
Contato:
74-9970-2838(Zé Carlos/Diretor sindical)
74-99930-6457(Prolepses/Coordenador)
E-mail.:
 


 

Clínica Dentsão

Clínica Dentsão

Silmara Variedades - O Shopping do Povo

Silmara Variedades - O Shopping do Povo

Confecções Araújo em Uauá

Confecções Araújo em Uauá